Construindo com a música​​

Queremos promover o emprego entre os jovens moçambicanos, e dinamizar o sector cultural do país para que este possa expressar o seu potencial

Um projecto de

Financiado pela Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento

COMO NASCEU O PROJECTO

CONSTRUINDO COM A MÚSICA nasceu da colaboração entre MICULTUR, AGAPE e MILANO MUSICA, da experiência adquirida ao longo dos anos no campo da cultura e do emprego dos jovens, e da grande vontade e empenho que estes parceiros estão a colocar no apoio ao governo moçambicano na resposta a duas questões: promover o emprego e auto-emprego entre os jovens moçambicanos dinamizar o sector cultural para que este possa expressar plenamente o seu potencial economico e social.

0
PERCENTAGEM POPULAÇÃO JOVEM (18 - 30 anos)
0
PERCENTAGEM JOVENS DESEMPREGADOS

No sector cultural a situação piora: há apenas cerca de 4200 jovens empregados, dos quais apenas 0,4 por cento são do sexo feminino.

Os objectivos do projecto

DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

Reforço das instituições públicas que lidam com as indústrias culturais e criativas em Moçambique, com enfoque no sector da música e das performing arts

FORMAÇÃO
PROFISSIONAL

Melhorar a formação e o nível de profissionalização dos profissionais dos sectores da música e das performing arts

EMPREGO E EMPREENDEDORISMO

Promover a criação de ecossistemas capazes de estimular a inovação e o surgimento de novas empresas e o crescimento das empresas já existentes no sector das indústrias culturais e criativas e no específico no sector musical nas províncias de Inhambane, Zambézia e Nampula

O impacto

O projecto irá aumentar a consciência pública, governamental e da população do valor da indústria cultural e criativa como uma mais-valia para o desenvolvimento económico do país e a função que pode desempenhar como factor de criação de actividades geradoras de rendimentos e nos processos de crescimento da sociedade moçambicana.

0
BENEFICIÁRIOS INDIVIDUAIS
0
ORGANIZAÇÕES BENEFICIÁRIAS

CLUSTER 1

DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

Estudo preliminar

Com o objectivo de analisar o contexto cultural moçambicano, especificamente no que diz respeito à música e artes performativas e à cadeia de valor do sector.

Capacity building

Dirigido a funcionários públicos do Ministério da Cultura e Turismo de Moçambique e as suas instituições de tutela e subordinadas, Direcções Províncias da Cultura e Turismo de Inhambane, Zambezia e Nampula, e representantes de 3 das 10 Casas Provinciais da Cultura na gestão das Indústrias Culturais e Criativas e na valorização, gestão e fruição do património cultural.

Plataforma Web

Criação de uma plataforma web integrada, capaz de apoiar o projecto e equipada com 4 funções: recolha e análise de dados; mapeamento e monitorização de editais nacionais e internacionais, concursos e oportunidades de financiamento; mapeamento e promoção de eventos realizados no pais; aprendizagem e repository.

Fontes de financiamento

Reestruturação e reforço do actual FUNDO DE DESENVOLVIMENTO ARTÍSTICO E CULTURAL - FUNDAC, diversificação das fontes de financiamento e dos instrumentos financeiros e incentivos postos à disposição do sector.

CLUSTER 2

FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Estudo nacional

Destinado a mapear o sistema educativo actualmente presente em Moçambique no sector da música e artes performativas, comparando-o com outros sistemas existentes e desenvolvendo indicadores específicos de desempenho na educação.

Currículos de Ensino Medio

Elaboração e activação de currículos de formação profissional de nível médio em musicoterapia, engenharia do som e construção e conservação de instrumentos musicais reconhecidos.

Currículos de Management Cultural

Revisão do currículo do ISARC "Gestão e Estudos Culturais" com a introdução de actividades estreitamente relacionadas com o negócio da música e das artes performativas e um módulo de ensino em Angariação de Fundos do Sector Artístico e Cultural.

Formações específicas

Realização de cursos de musicoterapia, engenheiria do som, fabricação e conservação de instrumentos musicais nas províncias de Inhambane, Zambézia e Nampula.

CLUSTER 3

EMPREGO E EMPREENDEDORIsMO

Casas da Cultura

Reorganização das Casas da Cultura de Inhambane, Quelimane e Nampula, com valorização, recuperação e restauro dos equipamentos, acessórios e instrumentos actualmente presentes e integração dos elementos em falta.

Capacity building

Formação para funcionários, técnicos, voluntários e activistas das Casas da Cultura e associações culturais que nelas trabalham para acolher e gerir incubadoras que oferecem apoio às Empresas Culturais, Criativas e Turísticas.

Incubadoras para Empresas Culturais

Concepção e planeamento de incubadoras mistas (público-privadas) para empresas culturais e criativas nas Casas da Cultura de Inhambane, Quelimane e Nampula.

Lançamento de incubadoras

Arranque e experimentação de incubadoras mistas para Empresas Culturais e Criativas nas Casas da Cultura de Inhambane, Quelimane e Nampula.

0
ORÇAMENTO EM EURO
0
MESES
"O artista de hoje cria não só para exteriorizar a sua personalidade, mas encarna o interesse do povo. Pois ele é a alma, o coração do povo. Ele encena uma dança ou canta uma canção e diz: esta é a cultura moçambicana."
JOAQUIM CHISSANO
2° Presidente de Moçambique

Os parceiros

MICULTUR é o co-requente do projecto. Estará envolvido em todas as actividades do projecto em termos operacionais, administrativos e legais e assegurará a sustentabilidade dos resultados do projecto após a sua conclusão. Será também responsável das actividades de monitoria e avaliação interna.

 

https://www.micultur.gov.mz/ 

A AGAPE è o requerente do projecto e, juntamente com a equipa do projecto, será responsável pela coordenação, organização, gestão e controlo das múltiplas e complexas actividades previstas pelo programa, de modo a torná-las eficazes e funcionais para a realização dos objectivos estabelecidos. Será responsável da gestão das relações institucionais e da comunicação.

 

 

https://www.agapeonlus.it/

​Estará envolvido trasversalmente na consolidação das relações entre as autoridades locais, na melhoria da governança, no reforço das relações entre a cidade de Milão e as instituições locais, no desenvolvimento de capacidades e actividades de apoio ao planeamento de políticas públicas em matéria de vitalidade sociocultural e econômica, cultura e eventos.

 

https://www.comune.milano.it/

Coordenará as relações com parceiros institucionais em Itália e com associados italianos e internacionais (incluindo Music Fund, Les Percussions de Strasbourg, Fondazione Scuole Civiche di Milano). Em relação aos seus conhecimentos específicos no sector da música e formação profissional, coordenará o grupo operacional Cluster 2 e participará activamente com o envolvimento de vários peritos no planeamento e implementação das actividades do Cluster 1.

 

https://www.milanomusica.org/it/

Apoiará a Milano Musica no desenvolvimento das actividades do R2 e sera responsável da elaboração, activação do CV em Musicoterapia. Responsável também da criação da profissão do musico terapeuta e critérios de enquadramento profissional.

 

https://www.diapason.bo.it/

O FINANCIADOR

Ele acreditou neste projecto e decidiu financiar mais de 90 por cento (o restantes 10 por cento é financiados pela AGAPE).

 

 

https://www.aics.gov.it/

CONSTRUINDO COM A MÚSICA   |   projecto@construindocomamusica.com   |   Maputo 2022 – 2025